terça-feira, 4 de outubro de 2011

CAROLINA RAMOS



TÃO PERTO... E TÃO LONGE...

Andaste bem pertinho de minha alma!
Tão perto, que cheguei a acreditar
Quem desta vez, alguém teria a palma,
De compreendê-la e dela se apossar!

Mas a aventura impôs-se em teu caminho,
Equívoca, a impelir-te em rumo incerto...
Partiste em busca de um banal carinho.
Restou a dor de um sonho mal desperto!

Chamei por ti!... E a brisa, com desgosto,
Murmurou confidente, ao meu ouvido:
- Esquece, tola, que eu te enxugo o rosto...
Deixa-o partir...o mais não tem sentido;

Se o adeus rouba o sorriso à tua boca,
A saudade e a ventura são rivais!
Deixa-o partir... Esquece... Esquece, louca!
Outro virá... e há de querer-te mais!


REVERSO

Se um verso meu chegar onde tu estás, um dia,
Fácil de adivinhar, dirá tua vaidade:
- Ela pensa em mim, rimou, porque sentia
No coração o agudo espinho da saudade!

Não gosto de mentir, calar é mais seguro.
Não direi sim, nem não... e nem sequer, talvez!
Porém, ao ler meu verso, em troca, eu asseguro:
Tu pensarás em mim... ao menos, nessa vez!


NAUFRÁGIO

Neste oceano da vida, tumultuoso,
Lancei, cheio de sonhos, um barquinho.
E ele flutuou e deslizou airoso,
Vencendo os empecilhos do caminho!

Nos momentos difíceis, sem repouso,
Depressa ia ampará-lo o meu carinho
E ansiosa eu via, com secreto gozo,
Meus sonhos desafiando os torvelinhos!

E chegaste! E de pedra era tua alma!
De papel, o barquinho... e tenso e mudo,
Ficaste, quando o mar perdeu a calma!

Contra o recife, o barco soçobrou!
E os sonhos, sem guarida, ao fim de tudo,
Um a um, impiedoso, o mar levou!


DELIMITANDO SANTOS

Manhã de sol, luminosa,
Dourando as águas do mar...
Brisa mansa... onda morosa...
Um barquinho a balouçar...

Nesse barco pequenino,
Os sonhos do pescador
Compõem o próprio destino,
Vencendo frio e calor.

Ao fundo, o azul horizonte,
Ilha das Palmas! E alçado
À frente Itaipu no monte
E a Serra do Mar, ao lado.

Ao centro, a concha serena,
De tão sublimes encantos,
Guarda pérola pequena
E tão valiosa –Santos!

E essa concha de ternura,
Sempre cercada de flores,
Oferece a alma pura
Na gama de tantas cores!

De norte a sul, leste a oeste,
Há perfume de poesia,
De orquídeas de aroma agreste,
Mesclado de maresia.

No porto, grandes navios...
Nas praias, verdes jardins,
Palmeiras, troncos esguios
Das alturas sempre afins.

E o azul por cima de tudo!
No altar do Monte, a Padroeira,
Com seu olhar de veludo,
Abraça a cidade inteira!

Santos, o berço da História!
E de tão grandes poetas
Que honram a Pátria e a memória,
Traçando brilhantes metas!

Liberdade e Caridade
Santos traz no coração...
E em troca, levam Saudade
Os que de Santos se vão!


CONSELHOS DE MÃE

Meu filho, a vida é dura e fere... e nos magoa...
mas, trata-a com respeito e guarda a dignidade.
Ainda que a alma inteira sem clemência doa,
não permitas que o mal altere o que é verdade!

Sonha bem alto e segue o voo do teu sonho
sem pressa de alcança-lo e tendo-o sempre à vista!
Cada dia que passa é um dia mais risonho,
quando o amanhã promete as glórias da conquista!

“Segura a mão de Deus!” Segue o rumo sem medo.
Os caminhos, verás, se abrirão à medida
que teu passo provar firmeza e, sem segredo,
revelar o sentido e o Ideal da tua vida!

Não temas opressões nem quedas. Persevera!
Se achares que ao final o saldo não convence,
reage, continua... a vida tens à espera!
Confia em teu valor! Trabalha! Luta! E vence!


VELHO RIO...

Deslizas velho rio, amargo e silencioso,
A esconder, bem ao fundo, a injúria e a dor calada.
Cresceste manso, puro! E teu caudal piscoso
Refletia o esplendor da luz da madrugada!

Quantas milhas coleaste! Fértil, dadivoso,
Quantos lares supriste! E se a sede saciada
Afugentou a seca, esse fantasma odioso,
Tiveste, em paga injusta, a face maculada!

Hoje, segues tristonho... sujo... moribundo...
Tendo no seio o estigma e, na alma dolorida,
Toda a angústia de ser a lixeira do mundo!

Velho rio... depois de tanto desengano,
Entendo porque, enfim, protestas contra a vida
E afogas tua dor no abismo do oceano!


A santista Carolina Ramos é das artistas mais completas e atuantes da literatura brasileira em todos os tempos. Professora, Poetisa, Escritora, Biógrafa, Artista Plástica e Musicista, com incontáveis premiações e publicações no Brasil, Portugal, Itália e Angola. Membro de várias instituições humanistas e culturais, incluindo Academias de Letras. De notável destaque também como Trovadora, inclusive atuando na divulgação desta arte no País. Autora dos livros Destino e Liberdade... Sonho de Todos.

4 comentários:

  1. Sou apaixonado por CAROLINA RAMOS, a sua alma tem um brilho só reservado aos artistas que tiveram o toque de DEUS. Sou feliz por tela conhecido.

    AMO-TE!

    ANTONIO TADEU

    ResponderEliminar
  2. Como definir Carolina Ramos?
    Uma mulher forte com olhos de menina marota...
    Uma pessoa incrível, inigualável, talentosa.
    Sabe traduzir a alma com palavras...
    Acredita num mundo melhor e se inspira dentro desse seu mundo interior, transmitindo amor, ternura, sedução, tudo junto, em seus versos que brotam como flores...
    Hoje é seu aniversário!
    O presente é meu!
    De tê-la conhecido...
    De ter o privilégio de poder te dar uma abraço sincero neste dia!
    Que Deus continue abençoando-a! Sempre!
    Com carinho da sua admiradora e amiga
    Fabiola

    ResponderEliminar
  3. Magnifica nossa Carolina Ramos,por aqui não consigo muito sobre ela,mas vivo na net pesquisando os trabalhos dessa ilustre poetisa!

    ResponderEliminar